Pronunciamentos: textos políticos e discursos solenes

Com o título “Pronunciamentos” pretendemos abarcar duas dimensões da atuação pública de Jorge de Sena, que, segundo entendemos, se complementam. De um lado, os seus textos explicitamente políticos, publicados principalmente no jornal anti-salazarista Portugal Democrático (1956-1975), criado por exilados portugueses em São Paulo, no qual passou a colaborar tão logo se fixou no Brasil; de outro, os dois discursos solenes proferidos em 1977, ano anterior a sua morte, que registram com nitidez uma trajetória de vida e de obra onde as opções políticas nunca foram escamoteadas.

 

Discursos solenes:

* Discurso do Prêmio Etna-Taormina Discurso de agradecimento do 15º Prémio Internacional de Poesia Etna-Taormina, atribuído a Jorge de Sena em 1977. A solenidade de entrega deste prestigioso prêmio transcorreu em Catânia, na Sicília, no dia 25 de abril, onde o texto foi lido, com incrível êxito, na tradução italiana de Carlo Vittorio Cattaneo. Até então, apenas outro premiado agradecera em italiano: Murilo Mendes. O dactiloscrito registra “Taormina, 23 de abril de 1977”. Está integralmente reproduzido em Jorge de Sena, Poesia e Cultura (Porto: Caixotim, 2005, p. 203-207).

* Discurso da Guarda Discurso proferido na cidade da Guarda, durante as comemorações do “Dia de Camões e das Comunidades Portuguesas”, no dia 10 de junho. O convite partiu do próprio Presidente da República, General Ramalho Eanes. O dactiloscrito registra “Paris, 3 de junho de 1977”. Está integralmente reproduzido em várias publicações — inclusive em brochura da Secretaria de Estado da Comunicação Social –, mas, desde 1980, encerra o vol.II de Jorge de Sena, Trinta Anos de Camões (Lisboa: Ed. 70, p. 253-262).

 

Textos políticos no jornal “Portugal Democrático”:

1. “Um 5 de outubro”: editorial anônimo – Ano III, n. 30, Nov. 1959.
2. “Some-te rato”: nota anônima – Ano III, n. 30, Nov. 1959
3. “Salazar processa o New Stateman”: editorial anônimo – Ano III, n. 31, Dez. 1959
4. “Eleições em Portugal”: assinado Candido Alves – Ano III, n. 31, Dez. 1959
5. “Uma vitória da Democracia”: editorial anônimo – Ano IV, n. 33, Fev. 1960
6. “O General Delgado presidiu às comemorações do 31 de Janeiro”: nota anônima – Ano IV, n. 33, Fev. 1960
7. “Fugas em Portugal”: nota anônima – Ano IV, n. 33, Fev. 1960
8. “Uma ditadura de juristas”: Ano IV, n. 35, Abr. 1960
9. “Os dois cadáveres”: editorial anônimo – Ano IV, n. 36, Maio de 1960
10. “O Cap. Almeida Santos assassinado pela PIDE” [carta-protesto]”: assinaturas do Comité dos Intelectuais e Artistas Portugueses Pró-Liberdade de Expressão – Ano IV, n. 36, Maio de 1960
11. “A palavra dos portugueses (Homenagem a Álvaro Lins)”: Ano IV, n. 37, Jun. 1960
12. “Uma visita presidencial”: editorial anônimo – Ano IV, n. 38, Jul. 1960
13. “Uma conspiração contra a democracia”: assinado “A Comissão Redactorial do Portugal Democrático” – Ano IV, n. 38, Jul. 1960
14. “Os correios do ditador”: anônimo – Ano IV, n. 38, Jul. 1960
15. “O Natal do preso político e o patriarcado”: Ano IV, n. 38, Jul. 1960
16. “Bevan”: anônimo – Ano IV, n. 39, Ago. 1960
17. “O infante D. Henrique, Salazar e o Brasil”: anônimo – Ano IV, n. 39, Ago. 1960
18. “Valores portugueses – o Infante D. Henrique”: anônimo – Ano IV, n. 39, Ago. 1960
19. “A comunidade de Estados Portugueses”: Ano IV, n. 39, Ago. 1960
20. “Um inédito de Fernando Pessoa [contra] Salazar”: Ano IV, n. 40, Set. 1960
21. “50 anos da República”: editorial anônimo – Ano IV, n. 41, Out. 1960
22. “Jaime Cortesão, o Historiador”: Ano IV, n. 41, Out. 1960
23. “Mensagem” [discurso do 50º aniversário da República]: Ano IV, n. 42, Nov. 1960
24. “Um novo ano”: editorial anônimo – Ano V, n. 44, Jan. 1961
25. “O rato e as bandeirinhas”: editorial anônimo – Ano V, n. 46, Mar. 1961
26. “A organização da Democracia portuguesa”: Ano V, n. 47, Abr. 1961
27. “Política externa portuguesa”: Ano V, n. 48, Mai. 1961
28. “A reforma inicial”: editorial anônimo – Ano V, n. 49, Jun. 1961
29. “As esquerdas”: Ano V, n. 49, Jun. 1961
30. “Pronunciamento de portugueses exilados no Brasil”: anônimo – Ano V, n. 51, Ago. 1961
31. “Uma denúncia! A política internacional de Salazar”: Ano VI, n. 58, Mar. 1962
32. “Comunicado do Comité dos Intelectuais”: [assinado por mais 10 pessoas] – Ano VI, n. 58, Mar. 1962
33. “O pânico”: Ano VI, n. 62, Jul. 1962
34. “Dois Mestres”: Ano VII, n. 63, Ago. 1962
35. “Agostinho Neto”: Ano VII, n. 63, Ago. 1962
36. “Salazar e os Estados Unidos”: Ano VII, n. 63, Ago. 1962
37. “A unidade”: Ano VII, n. 65, Out. 1962

 

=> Depois de longa espera, finalmente veio à luz em 2011 o livro Rever Portugal, há muito organizado por Mécia de Sena e agora co-editado com Jorge Fazenda Lourenço, que reúne os “textos políticos e afins” de Jorge de Sena, talvez a faceta menos conhecida de sua obra. Entretanto, sobre sua atuação no jornal Portugal Democrático, e sobre o próprio jornal, indicamos a seguinte bibliografia sumária:

 

  • Douglas Mansur da Silva, A Oposição ao Estado Novo no Exílio Brasileiro, 1956-1974, Imprensa de Ciências Sociais, 2006
  • Gilda Santos, “O Jornal Portugal Democrático – Demandas do literário em meio à proposta política”. Légua & Meia– Revista de Literatura e Diversidade Cultural, nº 3, Feira de Santana, UEFS, 2005 p. 59-69
  • Gilda Santos, “Le journal Portugal Democrático: une sociabilité vouée à l’action politique”. Sociabilités Intellectuelles XVIe-XXe siècle. Arquivos do Centro Cultural Calouste Gulbenkian, v. XLIX. Lisboa-Paris, 2005 p. 199-205
  • Miguel Urbano Rodrigues, “Portugal Democrático – um jornal revolucionário”. In: Lemos, Fernando & Leite, Rui M. A missão portuguesa – Rotas Entrecruzadas, SP, UNESP/EDUSC, 2003 p.183-188
  • Miguel Urbano Rodrigues, “A Luta na Imigração dos Antifascistas Portugueses contra a Ditadura e o Colonialismo” (palestra proferida em Grenoble, França, a 25 de Abril de 2009), reproduzida em: http://www.odiario.info/?p=1178
  • “[Recensão crítica a ‘Rever Portugal. Textos Políticos a afins’, de Jorge de Sena]” / Gilda Santos. In: Revista Colóquio/Letras n.º 179, Jan. 2012, p. 269-272.