Entrevistas

entrevistaEstão aqui listadas, em ordem cronológica, as entrevistas (editadas) de Jorge de Sena a diversos interlocutores, em Portugal, no Brasil e pelo mundo:

1) “Três perguntas e três respostas: uma entrevista com o poeta Jorge de Sena.” Entrevista a Vasco Miranda. Império 45/46. Jan./Fev. de 1955. Reproduzida em Diário do Norte, 6/03/1958. Reproduzida parcialmente em “Porque acima de tudo… (duas entrevistas, à guisa de Epílogo)”, O Reino da Estupidez (1961; 3a.ed., 1984, p. 161-163)

2) “‘Cultura é livre discussão e esclarecimento e conquista pessoal da liberdade de reflexão e expressão’ – Diz-nos o engenheiro Jorge de Sena, notável poeta e crítico literário”. Entrevista. República, 18/07/1956. p.1-2. Reproduzida parcialmente em “Porque acima de tudo… (duas entrevistas, à guisa de Epílogo)”, O Reino da Estupidez (1961; 3a.ed., 1984, p. 161-163)

3) “Aspectos da literatura actual: conversando com o poeta Jorge de Sena”. Entrevista. República, 23/10/1958. p.1-2.

4) “Jorge de Sena não crê em poesia concreta, só nos concretistas”. Entrevista a Paulo Carvalho. Tribuna da Imprensa, 26/09/1959

5) “Jorge de Sena (crítico e poeta) no Brasil”. Entrevista. Jornal de Letras, nov. de 1959. p. 8. Reproduzido parcialmente, como “Jorge de Sena no Brasil”, em Correio do Ceará, 18/11/1959.

6) “Sobre ‘teatro de vanguarda’”. Entrevista à Radio Difusora de Assis. São Paulo, 13/04/1960. Reproduzido em Do teatro em Portugal (1989, p. 387-388)

7) “Conversa com o escritor”. Entrevista a Laís Corrêa de Araújo. Estado de Minas, 27/08/1961. p. 3-4.

8) “Uma escola de liberdade e dignidade: Jorge de Sena fala sobre literatura inglesa”. Entrevista. Notícias literárias 14, julho de 1963.

9) “A Lírica de Camões será reeditada em novas bases pelo escritor Jorge de Sena”. Entrevista a Alexandre Eulalio. O Globo, 16/02/1965. p. 9

10) “Falando com Jorge de Sena”. Entrevista a Arnaldo Saraiva. Jorge de Sena. Número especial de O Tempo e o Modo, 59 (abril de 1968). p. 409-430. Reproduzido como “Jorge de Sena”, em Encontros des encontros, de Arnaldo Saraiva (Porto: Paisagem, 1973. p.47-74). Reproduzida parcialmente em Versos e alguma prosa de Jorge de Sena, edição de Eugénio Lisboa (Lisboa: Arcádia; Moraes, 1979. p. 137-144).

11) “Diálogo com Jorge de Sena”. Entrevista a Mário Alexandre. República, 31/12/1968.

12) “Camões é, para mim, um dos raros poetas portugueses que ainda estão vivos”. Entrevista a Nuno Rocha. Diário Popular, suplemento Quinta-feira à tarde, 02/01/1969. Reproduzido em O jornalismo como romance: pessoas e paisagens, de Nuno Rocha (Lisboa: Nova Nórdica, 1983. p. 35-39).

13) “Encontro de Óscar Lopes com Jorge de Sena”. Entrevista a Óscar Lopes. Diário de Lisboa, Suplemento Literário, 09/01/1969.

14) “Cinco minutos com o escritor Jorge de Sena”. Entrevista. O Primeiro de Janeiro, 22/01/1969. p.12

15) “Os problemas da política não são uma especialização. A política é a vida de todos os dias.” Entrevista a Fernando da Costa. Vida Mundial, 7/03/1969. p.31-35

16) “Jorge de Sena fala a VM”. Entrevista. A Voz de Moçambique, 3/05/1970. Reproduzida como “Raízes sociológicas e económicas da evolução do Português no Brasil e outros problemas”, em Notícias da Beira, 23/05/1970. p.8-9.

17) “Jorge de Sena: ‘Vivemos no mundo de hoje uma total revolução cultural'”. Entrevista a António Aragão. Comércio do Funchal, 05/07/1970. p. 3-5. 12/07/1970, p. 6

18) “Encontro com Jorge de Sena na sua casa de Santa Bárbara”. Entrevista a Nuno Rocha. Diário Popular, 30/06/1971. p.34-35. Reproduzido em O jornalismo como romance: pessoas e paisagens, de Nuno Rocha (Lisboa: Nova Nórdica, 1983. p.190-201)

19) “‘Os meus amigos morrem de cancro, de tédio, de páginas literárias’: Jorge de Sena”. Entrevista a Filipe Vieira. Notícias, 16/07/1972. p.10

20) Entrevista a Manuel Tomaz, para a Rádio Moçambique (Lourenço Marques). Gravada em 17-18/07/1972. Publicada em versão condensada como “Jorge de Sena fala a seus contemporâneos – uma entrevista inédita”, editada por Sebastião Edson Macedo, em Metamorfoses 8 (Rio de Janeiro; Lisboa: Cátedra Jorge de Sena; Caminho, 2008. p.235-257)

21) “Jorge de Sena: ‘É preciso saber em que consiste a autonomia da universidade americana!’”. Entrevista. Notícias da Beira, 24/07/1972. p. 2

22) “O governo norte-americano cortou quase todas as verbas para os cursos de português”. Entrevista. Diário Popular, 09/08/1972. p.12.

23) Entrevista com Jorge de Sena. De J. F. Jorge. Notícias da Beira, suplemento Revista, 20/08/1972. p. 5

24) “Jorge de Sena: uma longa história no reino dos equívocos”. Entrevista a João Carreira Bom. Vida Mundial, 25/08/1972. p. 6-14. Reproduzido parcialmente em Versos e alguma prosa de Jorge de Sena, edição de Eugénio Lisboa (Lisboa: Arcádia; Moraes, 1979. p.172-177)

25) Interviu cu Jorge de Sena. De Marian Papahagi. Steaua 22, nova série (16/30, nov. 1972). p.23-26

26) “A cultura não progride em linha recta mas em progressões e regressões de que se cria a tensão dialéctica em direcção ao futuro”. Entrevista a Baptista-Bastos. Diário Popular, suplemento Quinta-feira à tarde, 5/07/1973

27) “Jorge de Sena fala de educação e literatura”. Entrevista a Curtis Holguin e John Pérez. Jornal Português, 25/04/1974.

28) “Poet”. Entrevista a Ava Gutierrez. Herald Examiner, março de 1976.

29) “Jorge de Sena em Lisboa: ‘Portugal precisa apenas de confiar'”. Entrevista a Helder Pinho. A Capital, 20/09/1976. p.9

30) “De passagem em Lisboa para Itália: o poeta e ensaísta Jorge de Sena”. Entrevista a José Valentim Lemos. O Dia, 20/09/1976. p.10-11

31) “Jorge de Sena a propósito de Camões”. Entrevista. Diário de Notícias, 24/09/1976. p.8

32) “Jorge de Sena: ‘Parece-me que vejo em funcionamento os velhos hábitos do Estado Novo'”. Entrevista a Baptista-Bastos. Diário Popular, suplemento Letras e Artes, 30/09/1976. p. 4-5

33) “Jorge de Sena risponde a tre domande su Pessoa”. Entrevista de Luciana Stegagno Picchio. Quaderni Portoghesi 1 (primavera, 1977). p.137-158. Reproduzido como “Resposta a três perguntas de Luciana Stegagno Picchio sobre Fernando Pessoa”, em Fernando Pessoa e Ca. Heterónima (1984, p. 391-408)

34) “Jorge de Sena: ‘Ao aceitar a Comenda da Ordem do Infante'”. Entrevista a João Alves da Costa. Diário Popular, 06/05/1977. p.28

35) “Jorge de Sena, escritor portugués, en Salamanca: ‘La guerra civil española fue para nosotros un cambio tremendo'”. Entrevista a Ignacio Moneo. El Adelanto, 21/05/1977. p.3

36) “Jorge de Sena: ‘Continuo a considerar-me um escritor português'”. Entrevista a Manuel Poppe. Diário de Notícias, 02/06/1977. p.17-18. Reproduzido em Portugal Informação, 20/21, segunda série. Agosto/setembro 1977 (p.8-10). Reproduzido em Palavras no Tempo; vol. 2: Cultura (Lisboa: Diário de Notícias; INCM, 1991. p.71-78)

37) “Fui sempre um exilado mesmo antes de sair de Portugal”. Entrevista a João Camacho Costa e João Lopes. Abril, 3 (abril de 1978) p. 36-38. Reproduzido em Diário Popular, suplemento Letras e Artes, 27/04/1978.

38) “Jorge de Sena: ‘Não pedi, não peço e – mais – não aceito'”. Entrevista a Arnaldo Saraiva. O Jornal da Educação 11, abril de 1978. p. 26-31

39) “Jorge de Sena: ‘Tudo quanto é humano me interessa’”. Entrevista a Frederick G. Williams. Gravada em 04/05/78, na Universidade da Califórnia (Santa Bárbara). Trad. Mécia de Sena. Dossiê “Sena, de novo”, Edição Jorge Fazenda Lourenço. JL, 14/05/1985. p.18.

40) “Neste país somos julgados pelo que não escrevemos”. Entrevista a Fernando Dacosta. Diário de Notícias, 14/09/1978. p.17-18

 

* Levantamento e ordenação de Luciana Salles, a partir de Uma Bibliografia Cronológica de Jorge de Sena (1939-1994), de Jorge Fazenda Lourenço e Frederick G. Williams.