Índices da Poesia de Jorge de Sena – 6: Post-Scriptum, 1960


 

 

Continuando a série de Índices da Poesia de Jorge de Sena, apresentamos os títulos, primeiros versos e datas de composição dos poemas de Post-Scriptum, concluído em 1960 mas mantido inédito até o ano seguinte, quando se torna o último livro incluído no volume Poesia I. Em azul os links para os poemas já editados no site.

 

Título —– “Primeiro Verso” —– Data de escritura

Lamento do Poeta Objectivo ——– “Anda-me o amor tomando a própria vida” ———— 4/12/44
A Noite que Será sem Lua ——- “Como a noite que chega, um cão teima ladrando” —– 30/7/44
Arrecadação (II) ———————- “Não sei a sorte que me espera quando o novo” ——- 14/1/45
O Regresso ———————- “Como este fósforo que acendo para subir as escadas” — 30/8/45
Os Soldados de Chumbo e a Eternidade – “Nunca entendi tão perfeitamente as coisas”- 6/1947(?)
Rendimento ——————————– “Estava sentado no degrau da porta” ————– 25/6/1946
Canção —————————————————- “Volúvel e doirada” ————————— 2/12/46
Origem da Poesia Épica ————— “Grande é a vida, quando a morte passa” ———- 12/12/47
Ceifa —————————————— “Tu foste o amor puríssimo de um dia” ———– 23/8/1947
Vilancete —————————————– “Teus olhos deste: não queiras” ——————- 23/8/47
Cântico de Despedida
I ———————————————- “Tenho pena, meu amor, do mundo” —————– 8-12/8/47
II —————————————- “Sempre que entrares, ao subir da escada” ————— 18/8/47
Duas Cantilenas
I ———————————————————— “Ansioso espero” —————————— 28/4/48
II ———————————————————— “Longe da vida” ——————————- 16/8/48
Solícitas as Flores ———————— “Tão junto a mim, roçando-se por mim” ————— 4/9/50
De Relance, o Alentejo —————– “Um céu abafadiço, um ar de ausência” ————– 30/5/50
Acção de Graças —————– “Às vezes, com minha filha no chão junto de mim” ——– 1/10/50
Natal – 1950 ———————————– “Nenhum Natal será possível: sei” ————— 25/12/50
Ser ———————————————- “Cansada expectativa tão ansiosa” —————– 28/2/51
Ver ——————————————– “Tu julgas que procuro, e não procuro” —————- 9/8/51
“Na sombra, que dizes?” ———————————————————————————– 21/6/51
Desencontro —————————— “Só quem procura sabe como há dias” —————— 1/9/51
Os Cinco Sentidos ————- “Da minha terra exala-se perfume a carne reprimida”——— 7/4/51
A Solidão Visitava-me —————————— “Quando imaginava” —————————– 5/4/51
Os Filhos Levam Muito Tempo a Crescer – “Precária a vida e consentida a morte” ——— 9/5/51
Tendo Lido uma Carta Acerca de um Livro que Oferecera – “Por que entristeço ao ler…” – 5/1/51
De um Grande Vento Levado ————– “Transporta-me um vento” ————————– 27/4/52
Exactidão ————————————— “Levam as frases sentido” ——————– 15 e 28/1/53
Passagem Cuidadosa ———— “No ténue perpassar de nuvens cuidadosas” ————- 30/1/54
Post-Scriptum ———————– “Não sou daqueles cujos ossos se guardam” ———— 27/5/54
O Fim que Não Acaba ————— “Na cinzenta luz que pardamente morre” ————— 26/8/56
Reconciliação ——————————— “Reconciliamo-nos sempre” ————————- 25/9/58
“Ceifadas breves por um sol rasante” —————————————————————- 11/10/58
Glosa à Chegada de Godot ——– “Do que não desespero é muito pouco” —————– 22/4/59
“Como queiras, Amor, como tu queiras” ————————————————————— 24/2/59