De Nea de Castro

JS-Lourenco_Marques.jpg
1972, Palestra no Anfiteatro da Faculdade de Medicina da Universidade de Lourenço Marques. Foto de Ricardo Rangel

Tão logo lançamos na web o site “Ler Jorge de Sena”, recebemos, dentre as muitas mensagens, este conciso depoimento, que, por todos os motivos, não podíamos deixar de transcrever…

 

O dia em que ouvi Jorge de Sena

Não lembro quando foi exatamente, nem onde…
Jorge de Sena dava uma palestra e lá estava eu, ainda muito jovem…
O que ficou, isso sim muito nítido, é que foi um grande impacto.
Eu já era leitora dedicada da literatura portuguesa: Eça de Queirós meu romancista predileto; e lia com amor os poetas da pátria de Sena.
Saí dali impactada tanto pelo intelectual, o pensador da literatura, como por ser Jorge de Sena um homem da resistência.
Em Portugal, e aqui também no Brasil, havia governos de exceção…
Não me lembro do assunto exatamente, mas sim da força que emanava dele.
Não era um local muito grande, e havia muita gente… é uma memória embaçada, mas vejo gente em volta dele, ele fala… e há, em tudo, respeito e admiração.
Na minha memória, é como uma reverência de todos nós que estamos ali, vendo-o de perto, ouvindo-o.

 

* Nea de Castro é professora aposentada da Universidade Federal de Rio Grande (FURG), e membro do GT "Teoria do Texto Poético" - Anpoll