Jorge e Mécia na lente de Fernando Lemos

De 1949 a 1952, Fernando Lemos produz uma alentada série de fotografias inovadoras, sintonizadas com a estética do grupo surrealista de Lisboa, que hoje pertencem ao acervo do CAM/ Fundação Calouste Gulbenkian. Dentre os muitos retratos de amigos, aqui destacamos os dois de Mécia e os três de Jorge — amplamente conhecidos.  

 

phpThumb_generated_thumbnailjpg

phpThumb_generated_thumbnailjpg (1)

phpThumb_generated_thumbnailjpg (2)

phpThumb_generated_thumbnailjpg (3)

phpThumb_generated_thumbnailjpg (4)