“O dia de Camões nos USA” (2a. parte)

COMMEMORATING CAMÕES IN THE UNITED STATES: JORGE DE SENA’S LEGACY

“O Poeta é um Fingidor” (Nietzsche, Pessoa e outras coisas mais) – 2a. parte

 A música francesa cantada por Jorge de Sena

"O Poeta é um Fingidor" (Nietzsche, Pessoa e outras coisas mais) – 1a. parte

"Pot-Pourri Final"

(Des)encontros com Malraux

10 poemas de Emily Dickinson traduzidos por Jorge de Sena

25 de Abril: dois poemas e dois telegramas

31 de Dezembro

A Bela e o Monstro, de Jean Cocteau

A Bomba atómica e a cultura

Considerações irônicas em 1946

A Bordo da Sagres: o cadete Jorge de Sena e a viagem do Navio-Escola

Um diário da viagem, feito das cartas enviadas aos pais

A Comunidade de Estados Portugueses

No Portugal Democrático, em agosto de 1960, uma proposta para discussão

A Condição Humana, de Malraux

A Morte do Papa

Peça em um ato

A morte vista pelo jovem JS

A música russa cantada por Jorge de Sena

A Noite que fôra de Natal

De Antigas e Novas Andanças do Demónio

A poesia de Cavafy, por Jorge de Sena

A poesia francesa traduzida por JS

A tradução inglesa de ‘Os Maias’

Alguns Poemas Políticos

Em áudio: “Quem a tem…” e “Epígrafe para a Arte de Furtar”, lidos por Jorge de Sena

Amparo de Mãe

Peça em um ato

Angola e Moçambique

Das crônicas de viagem, 1972

Aniversário

Apresentação da poesia de Teixeira de Pascoaes

Arte romana e florentina em Metamorfoses

As aventuras onomásticas e brasilienses

Um pai às voltas com o nome do filho

As cantigas de D. Urraca e outros poemas medievais

As flores da poesia seniana

As Revelações da Morte, de Chestov

Bajazeto e a Revolução

Um fragmento teatral

Breve notícia sobre cartas inéditas: Um “justo diálogo”, a correspondência de Jorge de Sena e João Sarmento Pimentel.

por Otília Lage

Caim

Segundo conto de Génesis

Camilo Pessanha

O poeta simbolista revisitado em 1954

Camões, personagem poética

Em áudio: “Camões dirige-se aos seus contemporâneos”, lido por Jorge de Sena

Capangala não responde

De Os Grão-Capitães. Em vídeo: Cenas de guerra no ultramar português. Voz de Salazar (“Sem hesitações…”).

Carnaval a Bordo: a travessia do Equador

Da Sagres, 10/11/1937

Carta a Antonio Candido

Madison, 27/04/1968

Carta a Eduardo Lourenço, 15/6/1953

Carta a Eduardo Lourenço, 6/7/1959

Carta a Fernando Pessoa

Em 1944, Sena dirige-se ao Poeta

Carta a meus filhos sobre os fuzilamentos de Goya

Carta a Murilo Mendes

Carta a um jovem poeta

Carta inédita a José Saramago

Assis, 18/05/1961

Cartas Inéditas a Eduardo Lourenço

Lisboa, 3/5/1953, 15/6/1953 e 6/7/1959

Cartas inéditas de Jorge de Sena e Fernando Lemos

Charlot, Hoje e Sempre

Cinco Natais de Guerra, seguidos de um Fragmento em Louvor de J. S. Bach

Dos 15 poemas “natalinos” de Sena, esta sequência reúne os datados de 1944 a 1948. Em áudio, “Jesus, alegria dos homens” de Bach.

Cinema e poesia

Os poemas cinematográficos de Jorge de Sena. Em vídeo: o Encouraçado Potemkin (na íntegra, com legendas em inglês) e a dança de Zorba, o Grego.

Cocteau no Teatro Nacional – A Águia de Duas Cabeças

Como se morre?

Ante a perplexidade do “memento mori”, alguns poemas senianos em torno da Morte. Em áudio Jorge de Sena lê o poema “Requiem de Mozart”.

Conto Brevíssimo

De Antigas e Novas Andanças do Demónio

Correspondência com Delfim Santos  

Correspondência inédita com Luciana Stegagno Picchio e Carlo Vittorio Cattaneo

Correspondência Inédita entre Mécia e Jorge de Sena: “Vita Nuova” (Período brasileiro, 1959-65)

Correspondência Inédita entre Mécia e Jorge de Sena: “Vita Nuova” (Período brasileiro, 1959-65), segunda parte

Crianças

Da "longa cadeia de ações que culminou no 25 de abril"

Alguns textos de JS no Portugal Democrático, 1962

Das cartas de Jorge de Sena para Helder Macedo

De Engenheiro a Engenheiro: Nótula sobre a correspondência entre Eugénio Lisboa e Jorge de Sena

Dedicatórias a seus contemporâneos

Depois do “Discurso da Guarda”: carta aberta a Ministros

Depois do 25 de Abril

Desta vergonha de existir ouvindo

Um poema d’As Evidências no Portugal Democrático

Discurso da Guarda

Em áudio: Trechos do Discurso na voz de Jorge de Sena

Dois interessantes casos americanos e o mais que vem a propósito deles

Dos primeiros tempos nos USA, em carta a Sophia

El gran secreto*

Ensaio de revelação da dialéctica camoniana

Ensaio de revelação da dialéctica camoniana (Continuação)

Entrevista a Frederick G. Williams, 04/05/1978

Transcrição em Português

Entrevista em Moçambique, julho de 1972 [fragmento]

Em áudio: Trecho da Entrevista.

Entrevista, 1976

Escritoras na Literatura Portuguesa do Século XX

Estudos de História e de Cultura

Introdução, reproduzida na íntegra, da obra algo esquecida

Eu e a morte

Fernando António Nogueira Pessoa

Verbete escrito para a Great Encyclopedia of World Literature in the 20th Century

First Letter From London

The 17 th. of October, 1952

García Lorca, por Jorge de Sena

Há 50 anos: cartas de 1962

Há 50 anos: poemas de 1961

Há 50 anos: poemas de 1962

Há 50 anos: poemas de 1963

Hemingway em dois tempos

O romancista revisitado em 1954 e 1961

Hispanismos – arquipélago de glórias e vaidades no mar-oceano da ignorância universal

História do Peixe-pato

De Antigas e Novas Andanças do Demónio

Homenagem ao Papagaio Verde

De Os Grão-Capitães

Homenaje al loro verde

Jorge de Sena e os haikais

Jorge de Sena reads his poems (Entrevista a Frederick G. Williams).

Gravação em vídeo, em Santa Barbara, 04/05/1978

Jorge de Sena x Fernando Luso Soares

Jorge de Sena, translated

Some of Sena’s translated poems

Jorge de Sena: Entrevista (22/12/1968)

No Diário de Lisboa

Jorge de Sena: Na comemoração paulistana do cinquentenário da implantação da República Portuguesa

Texto do Portugal Democrático

José Rodrigues Miguéis

JS poetry translated by Richard Zenith

Leituras Piedosas e Prodigiosas – Padre Manuel Bernardes*

Mais um 25 de Abril

Mar de Pedras

De Antigas e Novas Andanças do Demónio

Mariana Alcoforado

Lettres Portugaises, Valentins et autres oeuvres de Guilleragues

Menções a Eduardo Lourenço nos Diários de JS

Miguel Ângelo, Shakespeare e Galileu

Os três gênios repensados em 1964

Monumentos revisitados

Música erudita do século XX

Na contramão do grandioso: o centenário esquecido

A efeméride que faltava

Notas acerca do Surrealismo em Portugal

Notas sobre regressos a Portugal: Cartas inéditas de Sarmento Pimentel e Jorge de Sena

por Gilda Santos e Mécia de Sena

O antes e o depois de um “sermão” cívico

O Comboio das Onze

De Antigas e Novas Andanças do Demónio

O Computador Omnipotente

O Descobrimento do Brasil

Da Sagres, 21/11/1937

O dinheiro em poesia

O Exílio e as Pátrias

Poemas selecionados entre Brasil, Portugal e Estados Unidos

O Futuro, a Luz, a Eternidade

Em áudio: “Ode ao Futuro”, lido por Jorge de Sena

O Grande Segredo

De Antigas e Novas Andanças do Demónio

O Indesejado – um posfácio (Parte I)

O Indesejado – um posfácio (Parte II)

O Indesejado – um posfácio (Parte III)

O Maneirismo de Camões

Um dos primeiros textos de Sena sobre o Maneirismo, datado de 1961.

O outro discurso seniano do 10.6.1977 e o “Dia de Camões” nos USA. (1a. parte)

O poeta Carlos Drummond de Andrade

O poeta e o crítico na mesma pessoa – um depoimento sobre algumas décadas de experiência pessoal

O Re-descobrimento do Brasil: três cartas inéditas

Recife, 7/8/1959 e Bahia, 13 e 19/08/1959

O Surrealismo em Portugal

O testemunho da guerra

Mini-antologia em torno do tema

Odes de Jorge de Sena

Os Amantes

De Antigas e Novas Andanças do Demónio

Os Corvos de Minerva

Esboço de conto ou início de capítulo de romance?

Os Dois Cadáveres

Editorial do Portugal Democrático, abril de 1960

Os poemas "incompreensíveis" de Jorge de Sena

Em áudio: “Anósia”, lido por Jorge de Sena

Os poemas Wagnerianos de Jorge de Sena

Os Sertões e a epopeia no século XIX

Os Três Amaros

Os Trovadores Malditos, de Marcel Carné

Outras Metamorfoses

Paixão, morte e redenção do Físico

Recortes da novela O Físico Prodigioso

Papel dos escritores no Brasil

Paraíso Perdido

Primeiro conto de Génesis

Peregrinações Européias

Poemas selecionados das andanças do poeta pelo Velho Continente

Perseguição

Poema escrito num Sábado de Aleluia

Poemas

Poemas Angolanos

Da visita de Jorge de Sena a Angola, 1972

Poemas de Natal

Poemas de Natal – II

Poemas de Natal – III

Poemas para começar o ano

Poesia Carnavalizante I

Poesia Carnavalizante II

Poesia da América Hispânica

Poesia e Música Popular

Em áudio: Poesia de JS musicada

Poesia Russa

Porto Grande (S. Vicente de Cabo Verde)

“Duas Medalhas Imperiais com Atlântico”, Antigas e Novas Andanças do Demónio

Possibilidades universais do mundo luso-brasileiro

Prefácio a ‘As mãos e os frutos’, de Eugénio de Andrade

Prefácio a ‘Teclado Universal’, de Fernando Lemos

Prefácios à ‘Poesia’ de Helder Macedo

Primavera em ensaio: memórias de poemas

Primavera em prosa poética

Primavera em verso

Primeiros poemas brasileiros

Primeiros poemas norte-americanos

Razão de o Pai Natal ter barbas brancas

De Antigas e Novas Andanças do Demónio

Recital virtual: poemas de JS lidos no youtube

Rimbaud, por Jorge de Sena

Rimbaud, Revisitado

Seis Poetas Surrealistas nas Líricas Portuguesas

Shakespeare

Situação da Literatura Portuguesa no Brasil

Sobre "Poemas de África", de António de Navarro

Sobre a Espanha e sobre a Latino-América

Sobre a Nudez / On Nudity

Sobre a poesia de Jose Craveirinha

Sobre esta praia… Oito Meditações à beira do Pacífico

Sobre o Modernismo em Portugal e no Brasil: Alguns problemas e clarificações

Sobre o Modernismo na América Hispânica

Sobre Shakespeare

Um adendo de 1964

Sobre Teixeira de Pascoaes

Some-te rato!

Portugal Democrático, novembro de 1959

Super Flumina Babylonis

Camões recriado num dos melhores contos portugueses do Séc. XX

Terceira Carta de Londres

De 07/11/1952

Testemunho pessoal sobre viver nos Estados Unidos da América

The Almighty Computer

The Impact of Africa on Portugal

Em vídeo: trailer e cenas do filme “Non, ou a vã glória de mandar”, de Manoel de Oliveira

Transformações e Metamorfoses do Sexo

A partir dos desenhos de José Rodrigues

Três “Carmina Burana”

Um imenso inédito semi-camoniano, e o menos que adiante se verá (parte 1)

O irônico prefácio seniano para As Quybyrycas, de Antonio Quadros

Um imenso inédito semi-camoniano, e o menos que adiante se verá (parte 2)

Um video-graffiti inspirado em JS (Letter to my children / Graffiti by Banksy)

Uma Sepultura em Londres

Variações Shakespearianas

Vilancetes

Walt Whitman

“CARMINA BURANA”