Novos Estudos em Livro: Portugal como (Im)possibilidade continuada (abril/2011)

scan0005.jpg

Deve-se à Ed. Afrontamento, do Porto, a mais recente publicação em livro a focalizar Jorge de Sena: Portugal como (Im)possibilidade continuada: Cidadania e Exílios (1930-1970). "À conversa" com Jorge de Sena. Trata-se do resultado de extensa investigação de Pós-Doutoramento, na área de estudos sociais e históricos, da Professora Doutora Maria Otília Pereira Lage. Eis a apresentação que se lê na contracapa:

"… Coleccionarei nacionalidades como camisas se despem..." é o conhecido verso seniano que, problematizando um dos principais constructos históricos modernos, a nacionalidade, concentra e antecipa o processo de conhecimento que a autora se propôs levar a cabo. Este estudo mobiliza a relevância singular da poliédrica vida-obra de Jorge de Sena, na sua trama polifacetada de poeta, romancista, contista, dramaturgo, ensaísta, crítico e tradutor, com a qual se estabelece aqui um diálogo metafórico, privilegiando as relações entre história e literatura na compreensão sócio-histórica da contemporaneidade portuguesa. Em causa estão fundamentalmente as relações entre o literário e o social, a função que a sociedade atribui à literatura e o papel que esta última admite aí representar. Assim, o livro é também uma viagem por representações político-sociais e culturais da nossa história recente, tornada visível por Jorge de Sena, "cidadão do mundo", em seu ideal emancipatório de escritor e intelectual de vanguarda, onde temas como humanidade, fidelidade, utopia, cidadania, desencanto, amargura, exílio, ironia e, naturalmente, Portugal são recorrentes. Com um enfoque na materialidade do texto e na corporeidade do leitor potencial, socioculturalmente construída, este livro torna possível, em hipotéticas leituras do texto, pensar a literatura comprometida no seu sentido de transformação radical a partir de um modo peculiar de denúncia constante da repressão, da censura, da mesquinhez e do autoritarismo instalados pelo regime salazarista.